Polícia prende suspeita de comprar celular com documento falso...

/ Category:

(Foto: Divulgação / Polícia Civil)


A polícia prendeu no fim da tarde desta terça-feira (25) uma mulher suspeita de comprar um aparelho celular num shopping, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, usando um documento de identidade falso. Segundo a polícia, um funcionário da loja desconfiou da cliente e acionou os seguranças do estabelecimento.
O funcionário questionou a qualidade do documento de identidade e teria pedido um outro comprovante à cliente, que se recusou a mostrar. Os seguranças constaram o crime e acionaram a polícia. De acordo com os agentes, a mulher foi levada para a 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), onde prestou depoimento.
Com ela, os policiais apreenderam um outro documento de identidade e dois recibos de compra de cartões de crédito. Segundo a polícia, os comprovantes dos cartões mostraram que a mulher já tinha comprado o mesmo produto, na mesma loja, mas usando o documento no nome de outra pessoa.
Segundo policiais do setor de investigação da 42ª DP, a mulher foi presa em flagrante e deverá responder pelo crime de uso de documentos falsos. Se condenada, ela pode pegar de dois a seis anos de prisão. A polícia investia se outras pessoas estão envolvidas no esquema.



A partir dessa reportagem, acho que podemos debater questões interessantes...


O Brasil e o mundo estão diante de um problema crescente: a industrialização de documentos falsos e as fraudes documentais. No mercado clandestino e criminoso eles têm muito o que nos oferecer. São passaportes, comprovantes de renda, Certidões de Nascimento, CPF, células de Identidade, CNH, entre outros. Basta que o interessado encomende o que precisa e forneça uma fotografia. Pronto. Com o seu ‘kit estelionatário’ em mãos, o golpista já pode fazer a festa. Além de abrir contas, o golpista pode aplicar muitos outros golpes: alugar imóveis, assinar contratos, comprar carros, comprar bens parcelados, contratar serviços, receber benefícios, entre muitos outros.

Existem vários tipos de documentos falsificados, com diferentes níveis de qualidade e sofisticação. Os documentos de identificação, por exemplo, são os casos mais comuns: temos documentos escaneados, adulterados e impressos (normalmente a qualidade da impressão é ruim, as cores e os caracteres usados são diferentes), temos, ainda, documentos verdadeiros que são roubados e adulterados (o caso mais comum é o da substituição da foto, através de recorte da original, colagem da nova e sucessiva replastificação do documento), mas, entretanto e todavia, a criatividade não para por aí...


Podemos, então, a partir do que foi exposto, voltar a trabalhar com os conceitos de autenticidade e veracidade. Além de debater sobre as fraudes documentais, claro.


A veracidade, segundo Lopes, está voltada para o processo de criação do documento. Então, uma Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo, deve ser criada por entidade competente e possuir elementos padronizados que garantam a sua existência e validação. Já a veracidade auxilia o profissional no entendimento sobre o que é falso e verdadeiro (se o documento foi criado a partir de informações honestas). Vale lembrar que, segundo Duranti, esses elementos são independentes entre si.

Então, podemos dizer que um documento adulterado não é verídico? Entretanto, ele pode ser autêntico? Segundo Luciana Duranti, ‘(...) para que ele seja autêntico, basta que este demonstre o que realmente está transmitindo, mesmo que este documento abranja informações não verdadeiras (...)’

Sem querer puxar saco, mas está sendo bem interessante tentar aplicar a Diplomática ao nosso dia-a-dia. Fica a dica.


:)


Reportagem do dia 25/05/2010

Fonte: G1

Post publicado por: Adrielly Cristina Martins Torres.

1 comentários:

Adrielly Cristina Martins Torres said on 10 de junho de 2010 10:29  

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/06/08/brasil,
i=196692/NOVA+CARTEIRA+DE+IDENTIDADE+
UNIFICADA+DIFICULTARA+FRAUDES+DIZ+ESPECIALISTA.shtml

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=951749&tit=Da-fraude-ao-vigilantismo-documento-unico-traz-riscos


Nova carteira de identidade unificada X 'vigilantismo'. Reportagens muito interessantes. Boas para serem discutidas.

:)